sexta-feira, 23 de maio de 2008

verbete 07


Outono - 1. monotonia de aldeia adormecida; 2. dolência de sino
na hora crepuscular; 3. botão de rosa amarelecida entre as
páginas de um livro de poesias; 4. acordes longínquos de violino
na tarde vazia; 5. paisagem esmaecida em púrpura gasta;
6. folhas-mortas rodopiando atarantadas ao sabor do vento;
7. nostalgia empoeirada do velho sótão da quinta de minha
infância perdida; 8. decorrer sonolento das horas devorando o
tempo; 9. angústia de charco ao pôr-do-sol; 10. solidão das árvores
despidas ao luar; 11. ponte entre a nostalgia e o tédio.

Oliveira

3 comentários:

Crônicas e tônicas disse...

Meu caro, espantosamente é no outono que me sinto mais estranho dos estranhos. Maravilhoso! Um abraço.

Selene Valdragon disse...

que imagem linda
bem outono mesmo
assim como o texto

Selene Valdragon

Moisés Augusto Gonçalves disse...

O verbete outono, tocou fundo! Lindo!

Moisés Augusto Gonçalves