terça-feira, 20 de maio de 2008

Momentos de ser . . .



A criança caminha feliz no mundo da fantasia,
De mãos dadas com a inocência;
Constrói seu caminho com a magia dos sonhos;
Sorri, porque tudo é esquecimento e encantamento . . .
O adolescente cai no abismo da realidade,
Apavora-se diante de um mundo conflitante,
Alia-se à rebeldia para combater o inimigo imaginário:
Com sua metralhadora nas mãos, lança projéteis de ódio
Para todos os lados, numa fúria de mar em maré-cheia -
Quantos desatinos, quantas batalhas perdidas! . . .
O adulto traz em si a mansidão do mar em maré-vazante,
Tenta conciliar seu mundo interior,
Cuida de suas feridas,
Arruma os escombros de seu império ignoto,
Tem a prudência como conselheira,
Procura viver em paz consigo mesmo e com o mundo . . .
O velho adquiriu a sabedoria e
Caminha tranqüilo,
Rumo ao pórtico que se abre para o infinito,
Como um rio que corre para o mar,
Alheio aos rumores cotidianos,
Senhor de seu mundo,
Senhor de si . . .

Oliveira

2 comentários:

Anderson disse...

Olá José!
Desculpe ter sumido, mas trabalhar e levar duas faculdades é coisa do outro mundo...
Finalmente eu tive tempo de sentar na frente do pc para me divertir...
É sempre uma diversão para mim ler poesias tão boas quanto as suas, em particular adorei essa...

Fraternais abraços a você!

Lívia Nogueira disse...

é a curva normal apreciando a vida
tal como as fases da Lua que nova, cresce, cheia minguando..
eis que o espírito vem e a principio pergunta-se onde está.. depois de alguns anos descobre e revolta-se... mais a frente percebe que a estadia nesse mundo faz parte de sua missão, então procura desfrutar do que há de bom... passado pelos três estágios encontra-se com a sabedoria...
seu texto é uma fotografia vital...
parabéns!!