quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Prece



Meu Deus, livrai-me de mim!
Livrai-me dos fantasmas que habitam os porões de meu ser;
Livrai-me do ódio que, às vezes, emerge
Das profundezas de quem sou,
Com fúria de vulcão querendo tudo destruir;
Dai freio a minha língua que, às vezes,
Fere impiedosamente como fio de navalha.

Abrandai, adoçai, enternecei meu pobre coração
Que não aprendeu nada,
Que não sabe o que é sossego,
Que sangra copiosamente,
Que grita desesperado no silêncio da noite vazia,
Que se transformou num deserto sem oásis,
Que está fechado pra o mundo . . .

Dai-me, Senhor, forças e luz
Para suportar o pesado fardo de ser assim,
De querer, geniosamente, que seja assado;
Perdoai-me a teimosia, o hermetismo;
Segurai minhas mãos para que elas não executem ações
Das quais eu possa envergonhar-me . . .

Iluminai-me para que eu não deixe morrer
A criança que há em mim,
Concedei-me a graça de que através dos olhos dela
Eu possa enxergar o mundo em sua plenitude
E as pessoas com humildade, caridade e fraternidade.
Meu Deus, tende compaixão, piedade e misericórdia de mim!

Oliveira

4 comentários:

Histórias e Versos disse...

Olá Oliveira,

Mais uma vez obrigado por esta maravilhosa página, que nos proporciona o contato com a profundidade, densidade e beleza de seus “e.ternos” poemas. Suas palavras são água da fonte, onde se volta sempre, para saciar a sede da alma, onde quer que ela se encontre. Um abraço fraterno,

Marcos Vinícius.

Carolina de Castro disse...

Muito lindo seu poema.
Mudar é uma das coisas mais dificil que tem na vida.
Estou brigando comigo mesma para mudar em algumas coisas.
A maior luta da vida, sempre foi com a gente mesmo.
Bjos

SAM disse...

Por um belo acaso da net descobri este excelente espaço recheado de belos poemas. Uma bela prece, Oliveira!


Sucesso! Beijos


*Voltarei para ler mais atentamente estes belos poemas.

Melanie Brown disse...

As Imagens Unidas as
Palavras que aque encontrei
Aqui, me fisseram chegar ao
Mergulho convidativo que
Li na apresentaçao...
Parabens!