segunda-feira, 17 de março de 2008

Viagem ao exílio



Embarquei num navio de angústias sonâmbulas
Por oceanos outonais cujo destino final
É naufragar num mar de folhas-mortas . . .
Pouco me importa! . . .
Bebo vinhos finos numa taça de amargura,
Entorpeço-me com ópio por distração . . .
Mergulho numa Veneza-de-tédios,
Numa masmorra de silêncios depostos . . .
Minha memória esqueceu o caminho de regresso,
Minha vontade jaz paraplégica no tombadilho . . .
Descubro que a primavera de outrora extraviou-se,
Irremediavelmente,
Que o amor desatinado e tenaz não foi mais que uma verdade efêmera,
Que o passado é uma mentira . . .
Meu Deus! . . . Meu Deus! . . .
A vida acumulou entorpecentes montanhas de lixo nostálgico em meu coração -
Meu pobre coração morre lenta e inexoravelmente como um rio poluído . . .
A solidão purificou as lembranças mais amargas,
O tédio instalou-se em minha vida com seu manto bordado de indiferença . . .
Pouco me importa que o mundo desabe,
Que o mar levante-se em fúria cega
E que as vagas engulam este navio . . .
É-me, totalmente, indiferente! . . .
Deixo-me ficar no convés, vestido de alheamento,
Cadáver de quem fui . . .

Oliveira

6 comentários:

Boaz ben Av disse...

Ultra-romantico, gótico. A kind of blues!
O jogo dos contrários nos versos causam um efeito de contrariedade típica do tédio e indecisão, típica de nervos esticados até o limite e depois soltos, froxos sem vontade de sentir.

Realmente surpreendente!

Crônicas e tônicas disse...

Caro José, fico agradecido por comentar no meu blog, de fato sua opinião é de grande valia, e diante seus trabalhos me sinto pequeno. Muito obrigado. Suas poesias são otimas, de grande profundidade.Parabéns

Carolina de Castro disse...

Sempre estou por aqui!!
A vida corre e o tempo passa tão depressa que quando vejo dias já se foram e eu não postei novamente!
Esse ultimo poema é muito lindo!
Arrebatador como tudo que li seu ultimamente.
Passar aqui já virou rotina!
Agradável rotina!
beijo e feliz páscoa.
Ou seja, boas renovações!!!
=P

fabiano disse...

a vida as vezes tem motivos que não entendemos e por isso ficamos sem razões para continuar, porém um dia estaremos num lugar onde veremos melhor o que realmente é a vida e então perceberemos que valeu a pena enfrentar as angústias e viagens interminaveis por esses mares da terra e da alma...

Anderson Pereira disse...

Muit boa essa poesia!!
Cada dia vc está melhor!
Continue assim...

Crônicas e tônicas disse...

Meu Caro Jose, tenho postado alguns trabalhos, e gostaria de sua opiniao. No Mais agradeço e que esteja iluminado.
Abraço.